Mercado imobiliário: entenda quais são os indicadores financeiros que influenciam

Você é o tipo de pessoa que busca investir com tranquilidade, alcançando os melhores resultados e ganhando tempo? Se sim, continue lendo esse texto. Ele vai te ajudar a entender cenários do mercado imobiliário e saber como diversificar investimentos, sem abrir mão da segurança e rentabilidade.

A opção pelos imóveis surge como excelente pedida em 2020. E quem diz isso são os grandes especialistas, como o Ricardo Amorim, rankeado pela Forbes como um dos mais influentes economistas brasileiros. Ele defende que o movimento de queda dos juros e ampliação de crédito imobiliário deva prosseguir, resultando numa intensa valorização dos imóveis. Esta é uma análise que leva em conta o cenário econômico. 

Vamos, então, entender quais indicadores influenciam o mercado imobiliário e por que os lotes empresariais são ótima pedida?

Os indicadores gerais que impactam o setor imobiliário

A estreita relação entre indicadores financeiros e mercado imobiliário tem a ver, acima de tudo, com o protagonismo de toda a cadeia da construção civil. Como um dos mais importantes impulsionadores da atividade econômica, o setor é altamente influenciado pelo cenário global e regional da economia.

Daí a importância de você, que está interessado em aproveitar o momento de retomada econômica para investir em imóveis, dominar os indicadores sobre os quais vamos falar agora. 

Começamos por índices macroeconômicos, que geram entendimento do cenário global da atividade de um país ou região. O primeiro deles é o conhecido Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), que, basicamente, indica a variação de inflação.

Nessa mesma linha, é preciso estar de olho no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que identifica a variação dos preços no comércio e é é considerado, pelo Banco Central, o índice brasileiro oficial da inflação ou deflação. Além disso, entra em jogo a Selic, ou taxa básica de juros. 

E quanto aos dados setoriais?

Em se tratando especificamente da área imobiliária, também há indicadores importantes. 

Um deles é o Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado, que observa os custos relacionados à cadeia da construção civil nas principais cidades brasileiras, dimensionando a valorização dos imóveis naquela região.

São dados aprofundados pelo Custo Unitário Básico da Construção Civil (CUB), que também estima preços, mas que leva em consideração fatores como qualidade de acabamento e perfil da construção.

Esse é um conjunto de indicadores que, você, investidor do mercado imobiliário, deve criar o hábito de acompanhar. Olhando para esses dados e números, vai ficar bem mais fácil dimensionar e ter segurança numa excelente relação de retorno sobre investimento.

A boa possibilidade dos lotes empresariais

E por falar nisso, quer uma boa dica de investimento em imóveis, com excelente retorno? Com o mercado dos empreendimentos horizontais se diversificando, vale a pena estar de olho nos lotes empresariais, presentes nos empreendimentos mistos. 

O foco é criar áreas propícias à instalação de empresas, nas grandes áreas destinadas aos condomínios horizontais. De acordo com os especialistas, a perspectiva de valorização e rentabilidade dos lotes está entre as mais interessantes do mercado. 

E se você é investidor em Santa Catarina, ou na região metropolitana, agora é a hora exata de fazer isso. Cidades como Florianópolis e Palhoça, tiveram importantes taxas de crescimento populacional, conforme a estimativa do IBGE em 2019. 

Isso sem contar que municípios do estado e, especialmente a capital, também apresentam índices de valorização imobiliária que superam as médias de mercado, inclusive liderando rankings nacionais. 

Então, considere já a possibilidade de investir nos lotes comerciais de alguns excelentes condomínios horizontais presentes em Santa Catarina e na Grande Florianópolis!