Investimento imobiliário: saiba como lucrar com lotes empresariais

Uma das características mais importantes do investimento imobiliário – como casa, salas, galpões e lotes empresariais – é a sua segurança. Dificilmente há desvalorização do bem-imóvel. Mas será que, além de seguro, este tipo de investimento também é lucrativo? E como calcular seu potencial de lucratividade?

Nem sempre os lotes empresariais e residenciais surgem como preferências dos investidores, mas você sabia que eles podem ser muito vantajosos? O investimento em terrenos empresariais, por exemplo, pode gerar lucros na revenda, aumentar a diversificação do patrimônio ou até mesmo garantir o espaço para construção de um futuro negócio.

Mesmo que a compra de imóveis seja uma das opções preferidas dos investidores brasileiros, nem todos sabem como calcular a sua taxa de retorno. É preciso levar em consideração alguns conceitos e especificidades desse mercado a fim de avaliar corretamente o potencial de lucratividade do seu investimento imobiliário. Confira! 

O que é taxa de retorno?

A taxa de retorno mostra qual o potencial de rendimento de um investimento imobiliário, incluindo terreno em loteamentos. Ela leva em consideração o total investido na aquisição da unidade e qual o rendimento que ela pode gerar ao proprietário. Esse rendimento pode ser obtido de duas maneiras: por meio do aluguel do imóvel ou através de uma futura venda.

A rentabilidade dos imóveis fica a meio termo entre a renda fixa e a variável. No Brasil, o senso comum é que o imóvel será um bom negócio se o aluguel render de 0,4% a 0,8% ao mês ou, em média, 8% ao ano. 

Tempo de resposta do investimento

Uma variável importante para ser considerada no momento de investir em imóveis diz respeito ao tempo de retorno que esse investimento pode levar. Quem decide apostar em imóveis não deve contar com uma valorização imediata. 

A valorização de um imóvel depende de uma combinação de fatores, que vão desde o estado da unidade até questões macroeconômicas. Portanto, o ideal é que o investimento imobiliário seja feito dentro de um horizonte de médio a longo prazo. 

Como identificar um bom momento para investir?

O ano de 2020 prometia ser um dos mais favoráveis para o setor da construção civil. O Produto Interno Bruto (PIB) do setor fechou 2019 com alta de 2% e o PIB Nacional – divulgado no início de março deste ano –  ficou em 1,6% – uma alta de 5,4% em relação a 2018.

Ao que tudo indica, a pandemia econômica que o mundo vem sofrendo por conta do COVID-19 (coronavírus), segundo alguns especialistas, não é só responsável pelo adiamento da alta do setor imobiliário brasileiro, mas também adiciona elementos que podem ajudar no aquecimento desse mercado quando chegar a hora. 

É o caso da queda do juros, que hoje se encontra em um nível muito abaixo do que se previa no começo do ano e que ainda pode cair mais. A situação também faz com que muitas pessoas vendam os seus ativos imobiliários – sejam eles imóveis ou fundos imobiliários – sem pensar muito no preço, o que abre uma oportunidade de compra por preços muito convidativos. Quem tiver a oportunidade de aquisição, este pode ser um bom momento. Comprar na baixa para ganhar na alta. 

Então, como calcular a taxa de retorno?

Como vimos acima, a taxa de retorno é calculada dividindo o total investido no imóvel pelo rendimento que ele pode gerar ao proprietário por meio de aluguel ou venda futura. Então, como exemplo, vamos calcular a taxa de retorno de um imóvel que está gerando renda por meio de aluguel, sem considerar sua valorização para venda futura.

Suponha que o valor total despendido foi de R$ 500 mil. Se o aluguel líquido for de R$ 5 mil mensais, isso significa que o retorno mensal é de 1%. Em um ano, o retorno será de 12%. Importante lembrar que o valor total despendido deve considerar todas as despesas, inclusive reformas. E o valor do aluguel deve ser considerado após a dedução de impostos, como o imposto de renda. 

Com esse dado em mãos, você já está pronto para comparar a rentabilidade do seu imóvel com a de outros investimentos. Você também pode compará-la a alguns índices que são um termômetro de mercado, como os divulgados pelos SECOVIs.
Ainda não está convencido? Então troque uma ideia com a Costa Sul Urbanismo para saber mais sobre este tipo de investimento.