Construtoras focam em bairros situados no norte e no sul da Ilha de Florianópolis

O setor da construção civil está de olho em duas regiões de Florianópolis para investimentos: o norte e o sul da Ilha. A equação para explicar essa tendência é simples: o novo Plano Diretor da Capital e os preços dos terrenos localizados em bairros próximos ao Centro.

Um dos pilares do Plano Diretor, que deve ser encaminhado à Câmara de Vereadores no mês que vem, é a criação de áreas de centralidade para evitar deslocamentos. Nesse contexto, alguns bairros do norte e sul da Ilha de SC deverão receber um número maior de construções.

O presidente do Sindicato da Construção Civil da Grande Florianópolis ( Sinduscon), Hélio Bairros, afirma que há uma sinalização da prefeitura no sentido de promover a expansão da cidade ao longo da rodovia SC-401, rumo ao norte da Ilha, e outra voltada para a SC-405, ao sul.

Conforme Bairros, entre os lugares com potencial de expansão estão Vargem Pequena, Vargem Grande, Ingleses ( entrada), Rio Vermelho, Campeche e Pântano do Sul. Ele explica que essas previsões levam em conta as limitações ambientais, topográficas e geográficas.

Atenta ao cenário, a Lumis Construtora e Incorporadora lançou há três anos o seu primeiro empreendimento no sul da Ilha, o Ilhas do Campeche.

— Na época foi uma grande aposta, pois havia muitos canteiros de obras no bairro. Era um mercado novo — lembra Roque Bohnenberger Júnior, assessor comercial da Lumis Construtora.

Segundo ele, a aceitação dos clientes superou as expectativas da construtora. Prova disso é que das 80 unidades oferecidas, 71 foram vendidas. O empreendimento será entregue em dezembro deste ano, e Bohnenberger não descarta o lançamento de novos prédios no local.

Novo acesso ao aeroporto e reforma da SC-405 aumentam as opções

Ele cita que há uma mudança de comportamento dos consumidores que antes adquiriam imóveis no local apenas para veraneio. No Ilhas do Campeche, 75% dos compradores planejam morar no prédio.

A Açores Empreendimentos é outra construtora que atua no sul da Ilha. Em 1975, a empresa foi a responsável pelo projeto de loteamento do balneário de Açores. Atualmente, a construtora conta com 10 empreendimentos no local.

O sócio-proprietário Marco Aurélio Bianchini diz que com o novo acesso ao aeroporto e as obras na SC-405 irão facilitar o trânsito ao bairro e reduzir o trajeto em até 20 minutos. Conforme Bianchini, isso valorizará ainda mais a região. Recentemente, a Açores lançou o residencial Baleia Franca, o primeiro prédio de alto padrão no bairro, que será entregue em 2015 e está com 32% das unidades vendidas.

No norte da Ilha, a Pioneira da Costa é uma das construtoras que investe na região. Há sete anos, ela lançou o Residencial Porto das Águas, nos Ingleses, um empreendimento voltado para veranistas e para quem deseja morar no bairro.

Diário Catarinense